segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Se pelo menos a justiça divina existisse...

Tive uma educação católica e, entre tantas outras coisas, aprendi que Deus não me deixaria na mão se eu fosse um "bom menino". Hoje eu sou uma pessoa muito contrária a qualquer religião justamente pelo fato de não ter sentido Deus na minha vida, mesmo sendo esse "bom menino".

Acho que não existe uma pessoa mais frustrada religiosamente do que eu. E, talvez por isso, eu me sinto muito seguro para debater este assunto com qualquer um que queira.

Não acho interessante essas pessoas que falam contra religião apenas para parecerem mais "cool" ou coisa do tipo. Pior ainda são pessoas que criticam a crença em Deus, mas cultuam o diabo. Acho uma bobagem.
Meu caso é diferente e quem me conhece pessoalmente sabe (apesar que nem todos pararam pra me ouvir durante a minha vida - sobre qualquer assunto. Por isso, agora escrevo) que eu falo sobre religião com base em alguma coisa.

Eu realmente acho que religião muda muitas pessoas para melhor. Mas, no meu caso, foi o inverso. Algo que o retrái não pode ser uma coisa boa num mundo que você precisa de atitude. Só que o assunto religião talvez seja o meu preferido e eu quero falar disso aqui várias vezes, porque sou capaz de escrever e falar por horas sobre isso. Não faço isso para ofender ninguém. Sei que ofende, porque já estive do outro lado, mas, não é essa minha intenção.

Mais uma vez, quem me conhece sabe que eu preciso colocar para fora minha insatisfação com esse lado espiritual que não cumpriu suas promessas comigo. Guardar só pra mim e sofrer ainda mais com isso, não pretendo mais.
Comentários pelo Facebook