sexta-feira, 29 de abril de 2011

A vaquinha!


Era uma vez, era uma vez, era uma vez, uma vaquinha!
A vaquinha era muito feliz!
Ela dava leite todo dia para o moço do leite!
A vaquinha era toda branquinha com manchas pretas!
A vaquinha fazia mu mu!
Por isso o nome dela era Mumu!
Quando ficava de noite, ela dormia!
Quando ficava de manhã, ela acordava!
A vaquinha tinha um sininho no pescoço!
Que bonita era a vaquinha!

Comentários pelo Facebook

5 comentários:

  1. Será que é uma metáfora? Uma brincadeira? Niilismo? Incógnita.

    ResponderExcluir
  2. Que bom seria se as pessoas só dissessem "que belo poema!", "que bela história!", "que belo filme!", "que bela música!"... Não sou contra a crítica. Sou contra a crítica que procura razões no autor, na vida dele, em seus problemas, etc... No fim das contas, acho q devo ser contra toda a crítica, né?!

    Ah, já ia me esquecendo... "Belo poema!" Desconheço as razões, se existem, que o levaram a fazê-lo... e é exatamente por isso que eu gostei dele...

    ResponderExcluir
  3. Lembranças da infância são boas pra mim. Não sei se todo mundo passa por isso, mas eu fazia exatamente deste jeito as redações na primeira série de escola, quando aprendi a ler e escrever (todo mundo na minha sala fazia assim, na verdade). E, é claro, é fácil escolher uma vaquinha para "protagonista" quando se vê tantas "vaquinhas" por aí... hahahaha

    ResponderExcluir
  4. Ah, infância! Quem nunca desejou viver naquele mundo criado pela eterna criança existente em James Barrie?! Quem não tem esperança de que a Terra do Nunca exista, de fato?! Peter Pan virou até nome de síndrome!!

    Queria ainda ser criança e não ter preocupações...

    ResponderExcluir