quarta-feira, 1 de junho de 2011

Incoerência Religiosa


Desde que religiosidade passou a ser apenas uma casca para se colocar como virtuoso, ficou fácil ser católico. Não é preciso mais seguir mandamentos. Basta acreditar em deus, e este, por sua vez, adquire a forma que desejar a consciência. Ser católico não significa mais seguir um conjunto de normas e dogmas. Ser católico, ou apenas acreditar em deus, é apenas mais um pré-requisito de uma sociedade que, cada vez mais, nos impões suas convenções. Estas, aliás, são espécies de "dogmas sociais." Você não entende - e também não questiona (muito menos, tenta combater) a obrigação de se usar um terno em uma festa de formatura. Você sabe que toda aquela "pompa" não condiz com a vivência universitária da maioria, mas sabe que é uma regra que deve, obrigatoriamente, ser seguida. Assim como esse terno que você veste para manter sua imagem limpa diante das exigências sociais, é também sua crença. Afinal, quem confiará em alguém sem religião, não é? A história, bem como o presente, mostram que não há relação entre religiosidade e índole, mas quem liga para provas quando elas não convêm???

E deus fez o homem, a mulher...e o livre-arbítrio. Livre-arbítrio é fuga! É uma estratégia psicológica de "auto-perdão". Você já peca sabendo que pode usar o maldito livre-arbítrio para livrar-se do peso na consciência. Tudo bem que a noção de pecado é algo mais do que antiquado, mas ela está lá, nas leis que regem - e mascaram - a índole do ser humano: as leis de deus (escrita pelos homens).

E, de mãos dadas com deus, cada um tem o poder de construir sua felicidade às custas do inferno alheio. Faz- se, assim, memórias inesquecíveis, dinheiro, e status social.

É importante sabermos onde estamos e a que nos propomos quando assumimos determinada postura. No mínimo, é prova de bom caráter assumir a postura que se prega e PRATICÁ-LA!! Este sim, é o ponto principal que falta aos católicos - e outros religiosos (ou simples crentes em deus).

Mas tanto abominável é a hipocrisia daqueles que pregam algo que não praticam, quanto é admirável os que conseguem praticar tais regras quase impraticáveis no sistema de valores em que vivemos. Pessoas que conseguem negar os impulsos próprios da natureza humana em nome de uma crença que os impõe esse desafio, são admiráveis! Mas por quê? Não estão eles jogando fora suas vidas por causa de uma coisa que não é provada?? Estão sim! Mas, se é isso que a religião os propõe, é isso que eles devem fazer. Cada um pode acreditar no que quiser, ou não acreditar também! Mas, que seja coerente!! Esta é a questão! Não há, de forma alguma, possibilidade de respeitar pregadores que só o são por adequação ao sistema! E, assim como se rotulam católicos - ou simples crentes em deus - para não sofrerem rejeições, também desrespeitam muitas destas leis para não sofrerem rejeições!
Não é contraditório?? É!! Mas é assim que funciona a hipocrisia do pensamento religioso. É assim que se convencionou!

Comentários pelo Facebook